Minas ocupa 2º lugar em ranking de transparência de dados sobre a vacinação

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Estado conquistou 96 pontos no mecanismo de monitoramento da OKBR; índice será atualizado bimestralmente

Minas Gerais ocupa o 2º lugar no ranking dos estados brasileiros no Índice de Transparência da Covid-19, feito pela Open Knowledge Brasil (OKBR). O indicador é um dos mecanismos mais importantes para avaliar a qualidade dos dados e das informações relativos à pandemia divulgados por União, estados e capitais do país.

Na versão 3.0 do índice, divulgada na sexta-feira (20/8), Minas Gerais registrou 96 pontos. Nesta nova rodada, os critérios de avaliação foram revisados, passando a incluir informações sobre a vacinação e destaque para a publicação em dados abertos.

Entre os itens analisados estão dados sobre a cobertura vacinal da população e dos grupos prioritários, aplicação da primeira e da segunda dose, distribuição das vacinas, entre outros.

A atualização do ranking será feita a cada bimestre.“Em uma parceria entre Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG) e Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), foram implementadas diversas mudanças na publicação das informações no Vacinometro, no Painel de Monitoramento de Casos e nos boletins suplementares.

Criamos uma seção para disponibilizar as informações que são a base de construção dos painéis em formato aberto. Ela pode ser acessada neste link”, diz a superintendente central de Transparência da CGE-MG, Soraia Ferreira Quirino Dias.”Os índices de transparência incentivam a ampliação dos dados disponibilizados pelos governos, favorecendo o acompanhamento do enfrentamento da pandemia por toda a sociedade”, observa Soraia Dias.

O controlador-geral do Estado, Rodrigo Fontenelle, destaca que Minas tem buscado aperfeiçoar a disponibilização dos dados relativos à pandemia desde o lançamento da metodologia de avaliação da OKBR, em abril de 2020. “A cada nova versão, a avaliação foi ficando cada vez mais criteriosa. Ainda assim, conseguimos avançar a cada rodada, mostrando um Estado comprometido com a transparência”, afirma.

Agência Minas

LEIA TAMBÉM!