Polícia prende Vereador e assessor suspeitos da prática de “rachadinha”

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

A Polícia Civil e Ministério Público, prenderam na manhã desta terça (11), o Vereador Tiago Tito (PSD) e o chefe de gabinete dele durante a segunda fase da operação Contrato Leonino, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Eles são investigados no âmbito da Operação Contrato Leonino, que apura ao menos oito crimes cometidos dentro da Câmara Municipal da cidade, incluindo “rachadinha” (esquema em que um servidor público ou prestador de serviços devolve parte de sua remuneração a políticos e assessores).

Nesta operação, participaram 58 policiais civis em conjunto ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

De acordo com o Delegado responsável, Gabriel Fonseca, mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Câmara Municipal de Vereadores. Documentos, aparelhos eletrônicos, notebooks e celulares foram apreendidos.

LEIA TAMBÉM!