Prefeito decreta estado de calamidade financeira em Patos de Minas e calcula dívida superior a R$240 milhões

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
(Imagem: Patos Hoje)

O prefeito de Patos de Minas, José Eustáquio, declarou estado de calamidade financeira no município nesta quinta-feira, 2. Ao todo, o atual governo calcula uma dívida superior a R$ 240 milhões e um caixa de aproximadamente R$ 47 milhões.

A administração contou que a dívida da prefeitura inclui débitos de vários anos atrás e agora pretende trabalhar para reduzir os gatos e aumentar as receitas. Os documentos mostraram que o município tinha cerca de R$ 103 milhões para pagar a curto prazo até o dia 31 de dezembro de 2016, o que não foi feito. “Foi concedido o Passe Livre Escolar a todos os estudantes, mas a prestação do serviço não foi quitada”, declarou José Eustáquio sobre uma das contas da prefeitura.

A dívida da prefeitura é ainda maior, segundo o decreto. Os documentos revelam uma dívida superior a R$ 16 milhões que deve ser paga a longo prazo e outra de mais R$ 168 milhões, resultante de várias administrações passadas.

Segundo José Eustáquio, a prefeitura precisa repassar cerca de R$ 1 milhão por mês para saldar o valor das dívidas. Ele foi questionado a respeito de uma possível irregularidade na gestão anterior, mas o próprio atribuiu o problema a queda de receitas de 2016.

Informações por Patos Hoje

LEIA TAMBÉM!