ASSINE O NOSSO BOLETIM DE NOTÍCIAS

RECEBA AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DIRETO NO SEU E-MAIL
iconeenvelope.png

Processo da CPI do Ipremu, com mais de 6 mil páginas, deve ser entregue dia 9

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto
Imagem: TV Vitoriosa / Reprodução

O processo da CPI do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Uberlândia (Ipremu), instaurada recentemente pela Câmara Municipal, já está pronto e conta com mais de seis mil páginas. Ele foi entregue para o relator do processo, o vereador Juliano Modesto, na semana passada.

O relatório final deve ser entregue no próximo dia 9, e o relator disse que fará o possível para concluir no prazo.

“São muitos documentos para analisar, são mais de 6 mil folhas. Já estou, inclusive, ampliando meu jurídico para dar aceleridade (sic) nisso, visto que o prazo encerra agora dia 9. Acredito que no mais rápido possível, teremos o relatório final”, comentou.

Caso não consiga terminá-lo até dia 9, Modesto disse que irá pedir a ampliação do prazo para mais 30 dias.

Documentos da Caixa Econômica Federal são fundamentais

Semana passada, foram anexados os documentos enviados pela Caixa Econômica Federal, que de acordo com o relator, são provas que alertaram a antiga administração a respeito da retirada de 34 milhões de reais do banco e que foram remanejados para fundos de riscos.

Após a conclusão do relatório, haverá uma nova reunião com todos os vereadores que são membros da CPI. A partir daí, o parecer será encaminhado para os órgãos judiciais.

Entenda o caso

A CPI do Ipremu foi instaurada pela Câmara Municipal no último mês de maio, para investigar denúncias de atrasos no repasse da cota patronal e questionar os as aplicações feitas pela última administração do órgão.

Aconteceu um total de nove reuniões para investigar as irregularidades, nas quais nove testemunhas prestaram depoimento. Entre elas, o antigo superintendente do órgão, Marcos Botelho, e o ex-prefeito Gilmar Machado.

LEIA TAMBÉM!