Unitri promove fórum que discute mudanças que ocorreram com a reforma trabalhista

Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Redação V9

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Legenda da foto

Na última quinta-feira (21), a Unitri, em parceria com Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Uberlândia (Sindttrans) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), promoveu o Fórum Reforma Trabalhista – Aplicações Práticas. O evento tinha como objetivo discutir todas as mudanças que ocorreram com a aprovação da reforma trabalhista.

“A Unitri tem um papel social além da educação. Então é importante que a gente leve, tanto para nossos alunos quanto para a população, o que representa a reforma trabalhista. Então, por meio do nosso curso de direito, a Unitri tem essa responsabilidade de levar essa informação aos nossos acadêmicos e à comunidade”, disse José Maria Mina, vice-reitor da Unitri.

Impactos       

O juiz do trabalho Marcelo Segato disse que é importante que a população esteja ciente das mudanças, pois elas terão grande impacto nas relações entre empregados e empregadores. Já o economista Fernando Duarte, que representou o Dieese no fórum, afirmou que a reforma será ruim para o trabalhador, por conta do enfraquecimento dos sindicatos.

“Essa reforma é muito ruim pro trabalhador porque, primeiro, ela desprotege o trabalhador do ponto de vista da organização sindical, ela enfraquece a organização sindical, agora ele deixa de estar obrigado a financiar essa instituição”, disse.

Já Paulo Veloso, que representou o Ministério Público do Trabalho no fórum, disse que o órgão é contrário à reforma trabalhista.

“O Ministério Público do Trabalho tem posição institucional contrária à reforma trabalhista. Durante o trâmite legislativo, foram apresentados diversas notas técnicas apontando pela necessidade de que o projeto não fosse aprovado”, explicou Paulo

Informações no local: Léo Carvalho

LEIA TAMBÉM!